contain  multitudes
Home > Budismo > Artigos > Perguntas & Respostas > 7.2. Zen

7.2. Zen

O que é zen budismo?

Zen é um conjunto de escolas budistas que se desenvolveram principalmente na China, Japão, Coreia e Vietnã. A palavra Zen vem do termo sânscrito "dhyana", que os chineses pronunciam C'han, e os japoneses pronunciam como Zen.

Dhyana é um tipo de prática de meditação, e o Zen budismo dá grande ênfase a essa prática.

O Zen (como uma tradição separada, não como a prática de dhyana) não é comum na Índia, no sul da Índia ou no Tibete. No Tibete houve uma "licitação", ou debate público patrocinado por um rei, lá pelo ano 1000. O representante do Zen perdeu, e por isso essa tradição nunca esteve presente no Tibete, até os dias de hoje. Foi só com a vinda do budismo para o ocidente que professores chineses, japoneses e tibetanos começaram a se encontrar e conhecer um pouco das tradições uns dos outros, que ficaram separadas por mais de 1000 anos.

Qual a relação do budismo e do haikai?

Várias artes tradicionais estão ligadas ao budismo. No caso do Haikai, como muitas outras artes sofisticadas do período edo no Japão, a ligação com o zen budismo é bem forte.

Ao que parece o haikai surge de um satori, ou uma realização espontânea de um praticante, que a então versifica. Mas com o tempo o satori não passou a ser tão importante para a escrita de haikais, e hoje em dia é uma forma de arte muitas vezes desvinculada da prática budista.

Na Índia medieval a forma de arte que advinha da realização espiritual, o doha, era mais comprido, e vinculado a uma melodia. Essa forma foi a que penetrou o tibete, com mestres como Milarepa, por exemplo. São registradas milhares (se diz normalmente 100.000) canções espontâneas de Milarepa.

Mas em geral a poesia budista, longa ou curta, embora embasada na realização do compositor, nem sempre tem um caráter espontâneo ou está ligada a uma realização momentânea ou particular. Muitas vezes o verso é também burilado. E, além disso, existe uma vasta tradição de comentários, aí sim sem espontaneidade alguma, que destrincha, algumas vezes palavra por palavra, composições mais antigas.

O que é zazen?

É apenas sentar, só sentar. Sem estar praticando alguma coisa, e sem querer parar e ir atrás de outra coisa. Em outras palavras, sentar como o Buda sentou.

O que é darma? Qual a relação de darma e zazen?

Darma é o ensinamento do Buda, o método que ele ensinou para atingir o mesmo que ele atingiu, isto é, acordar.

Zazen é um método que se apoia no resultado, isto é, o estado de Buda, já presente e que é vivenciado através de "apenas sentar". Então você senta acordado, senta com as coisas como elas são, sem alterar nada, sem fabricar nada. É apenas sentar.

"O zazen é a prática sobre o próprio resultado." Então a prática de "só sentar" já é completa em si? Já é um resultado? Mas é um resultado de que?

O estado de buda é a base, o caminho e o resultado. Quando ele é obscurecido pelas máculas adventícias da delusão, ele é a base sobre a qual o caminho pode ser trilhado.

Através dele, por ele mesmo, os obscurecimentos podem ser paulatinamente dissolvidos.

Quando ele revela a si próprio, ele é o resultado.

Portanto, apenas sentar é revelar o resultado, o estado de Buda. Caso a pessoa não consiga isso, então ela recorre a práticas causais, nas quais o resultado não está presente, como a meditação com e sem esforço, a geração de mérito, e a repetida audição de ensinamentos, fazer perguntas e contemplar.

As práticas do zazen são suficientes para conseguir ver a "vida como ela é"?

Não sei se alguma prática budista tem como objetivo ver "a vida como ela é". Talvez "reconhecer as coisas como são" seja melhor — é possivel que essas duas afirmações sejam equivalentes, ou não.

Mas com certeza o zazen não é um caminho para resultados. O zazen é a prática sobre o próprio resultado. Então zazen deveria ser sentar com o reconhecimento das coisas como elas são, ou, apenas sentar. Se não é assim, então a pessoa está tentando, apenas tentando. Não está fazendo "apenas sentar", que é completo em si mesmo e não busca nenhum resultado outros que não "apenas sentar".

Quando iniciei a prática de zazen me deram instruções para que, ao sentar, contasse as inspirações e expirações (1, 2, 3, 4...) e quando chegasse ao 10, voltasse ao início. Isso é válido?

É uma prática de shamata já ensinada na índia clássica e que penetrou o c'han, o son e o zen. É uma prática preliminar ao zazen propriamente dito, que é apenas sentar (contar respirações não é "apenas sentar").

Por que o zazen é praticado virado para a parede?

Bom, não conheço tão bem o zen. Mas não é essencial a parede. Ao que parece, principalmente no início, é bom não ter muitas distrações — e uma parede branca pode ajudar. Depois, quando se avança na prática, não se precisa da parede, nem sequer da postura. Há também mais de um tipo de zazen, o soto zen, por exemplo, pratica o shikantaza, que é apenas sentar. Mas se pode fazer zazen com um objeto, como contar ou a respiração.

No zazen, apenas nos sentamos. Qual a relação disto, a não mente, com a shamata?

A shamata é uma prática preliminar, com esforço.

Se a shamata é preliminar ao zazen, então este seria uma forma de meditação vipassana?

Se for, é, se não for, não é: estilo zen.

Que é zazenkai?

É um retiro zen menor ou menos intensivo do que um seshin. Pode ser apenas um encontro.

Isto é, no zen budismo as pessoas se encontram para fazer práticas juntas, e a forma mais breve e menos intensa é um zazenkai.

Retorne ao índice. Envie suas perguntas, correções e sugestões para padma.dorje@gmail.com. Última alteração em 2015-06-29 03:49:38.




Some content is available in English.
Se você vê mérito nos tópicos tratados, divulgue — comente e partilhe nas redes sociais. É uma prática de generosidade que ajuda na minha própria prática de generosidade de produzir e disponibilizar esse conteúdo. Outras formas de ajudar.



Ao clicar no curtir/like acima você curte o site todo, para curtir o conteúdo especifico, procure pelo botão ao final do texto.



autor

tzal.org é produzido por Padma Dorje.

e-mail

@pdorje on twitter

perfil no Facebook







patronagem


Banco do Brasil (001)
ag 3252-2 cc 23.017-0


Banrisul (041)
ag 0100 cc 35.220.185.0-6



direitos
todo conteúdo, design e programação por Eduardo Pinheiro, 2003-2017 (exceto onde esteja explicitamente indicado de outra forma)
Licença Creative Commons

Esta obra é licenciada com a Creative Commons Atribuição: Uso não comercial, compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License

Por favor, quando divulgar algo deste site, evite copiar o conteúdo todo de um texto; escolha um trecho de um ou dois parágrafos e coloque um link. O material aqui é revisado constantemente, e páginas repetidas na internet perdem ranking perante o Google (a sua e a minha).