contain  multitudes  •  por  Padma  Dorje  •  fundado  em  2003
contain  multitudes
Home > Budismo > Traduções > Contos de um Vagabundo Iluminado > Chuva de Flores

Chuva de Flores

CERTA VEZ PATRUL RINPOCHE ENSINOU o Tantra da Essência Secreta perto de sua caverna em Upper Doe. Entre seus discípulos estava um nômade idoso. Atravessando o rio no seu iaque todas as manhãs, ele voltava para casa toda noite.

Um dia uma chuva torrencial fez o rio transbordar. Apesar disso, o devoto ancião tentou cruzá-lo. Carregado pela forte correnteza, ele afogou-se. Alguns nativos carregaram seu corpo pela colina até Patrul.

"Ah-zi! Pobre senhor!", Patrul exclamou. "Ele morreu por seu desejo de receber ensinamentos. Devemos orar e fazer profundas aspirações para seu desenvolvimento futuro." O cadáver jazia no chão perante o mestre compassivo. A mulher e os parentes do velho lamentavam-se ruidosamente. No Tibete oriental, a morte por afogamento é considerada especialmente de mau agouro, já que os nômades acreditam que quem morre assim renasce nos planos inferiores da existência.

"Por favor, proteja-o com sua compaixão infalível!", a angustiada viúva implorava repetidas vezes a Patrul, lamentando-se e chorando. "Livre-o dos tormentos do inferno." Acompanhado por sua assembleia de discípulos, Patrul começou a cantar a prática de Phowa, que transfere a consciência do morto para os reinos mais altos na direção da liberdade e iluminação.

Um chuvisco gentil, que os tibetanos peculiarmente chamam de "chuva de flores", começou a cair, e delicadas nuvens nas cores do arco-íris começaram a formar-se. Olhando para o céu e depois para o cadáver, Patrul começou a gargalhar repentinamente, deixando a recitação inacabada. Os monges e lamas reunidos completaram o ritual sozinhos, mas ninguém ousou questionar Patrul.

Alguns dias depois, um discípulo respeitosamente perguntou: "Rinpoche, todos sabem que amabilidade e compaixão são os principais focos de sua meditação. Porque gargalhaste quando aquele velho nômade morreu?".

Patrul respondeu: "Aquele senhor era realmente digno de compaixão. Mas algo esquisito aconteceu ali".

"O que aconteceu?", o discípulo perguntou.

"Sentindo grande pena, orei para que renascesse num reino de deleites; instantaneamente o vi renascendo como um ser celestial no Paraíso dos Trinta e Três Deuses. Por gratidão pelo meu ensinamento do "Tantra da Essência Secreta", ele sorriu e lançou uma chuva de flores divinas sobre nós.

"Olhei para o cadáver enrugado de cabelos brancos em frente e para todos os parentes soluçando com medo do inferno - e não pude aguentar. Pensei para mim mesmo: 'Isto realmente é a ilusão de samsara!'. Então pensei: 'Vendo-me rir, estas pessoas pensam que eu sou estranho; vendo-as chorar, quando o velho homem já virou um ser celestial, penso que elas são estranhas. Isto também é a ilusão de samsara!'".





Se você vê mérito nos tópicos tratados, divulgue — comente e partilhe nas redes sociais. É uma prática de generosidade que ajuda na minha própria prática de generosidade de produzir e disponibilizar esse conteúdo. Outras formas de ajudar.
tzal.org é produzido por
Padma Dorje.

e-mail

boletim informativo

Tendrel: conexões auspiciosas
canal no YouTube




Banco do Brasil (001)
ag 3.240-9 cc 123.017-4



Sugestões de patronagem recorrente (mensal):








todo conteúdo, design e programação por Eduardo Pinheiro, 2003-2019
(exceto onde esteja explicitamente indicado de outra forma)
Licença Creative CommonsEste obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Por favor, quando divulgar algo deste site, evite copiar o conteúdo todo de um texto; escolha um trecho de um ou dois parágrafos e coloque um link. O material aqui é revisado constantemente, e páginas repetidas na internet perdem ranking perante o Google (a sua e a minha).

https://tzal.org/chuva-de-flores/