contain  multitudes  •  por  Padma  Dorje  •  fundado  em  2003
contain  multitudes
Home > Budismo > Traduções > Contos de um Vagabundo Iluminado > A Prata é um Veneno

A Prata é um Veneno

CERTA VEZ PATRUL VIVEU EM UM VALE onde as pessoas eram muito devotadas a ele. Um dia alguns eruditos khenpos (abades), juntamente com o filho do mestre dos tesouros Chogyur Lingpa, Tsewang Norbu, foram até seu retiro solitário de forma a receber ensinamentos; todos sentaram ao redor de Patrul em uma várzea cercada de flores silvestres.

No vale havia um homem que fervorosamente desejava oferecer a Patrul uma peça de prata na forma de uma ferradura do tamanho de uma pedra. Mas sabia que Patrul raramente aceitava oferendas.

O velho chegou repentinamente a cavalo, desmontou, prostrou-se três vezes, e colocou o pedaço de prata aos pés de Patrul. Ele gritou: "Aqui está uma oferenda. Por favor salve-me de renascer nos reinos inferiores!". Então ele saltou no cavalo e fugiu galopando, consciente de que se permanecesse, Patrul rejeitaria sua oferenda.

Tsewang Norbu pensou para si: "Patrul provavelmente utilizará esta oferenda para algum propósito meritório". Patrul, porém, nunca pegou o pedaço de prata. Quando completou seus ensinamentos, simplesmente levantou-se e saiu. Tsewang Norbu não podia deixar de pensar que teria sido melhor utilizá-la para algum propósito meritório, em vez de apenas deixá-la ali, mas manteve estes pensamentos para si.

Enquanto caminhava, olhou para trás várias vezes: a prata ainda estava ali, um ponto brilhante na várzea verde. Esta imagem permaneceu com ele enquanto desciam a colina, e um sentimento muito poderoso de cansaço com as coisas do mundo e renúncia surgiu dentro dele.

Tsewang Norbu pensou consigo mesmo: "Quando penso no meu gracioso guru e nas pessoas ao redor dele que totalmente renunciaram aos apegos ilusórios desta vida passageira, isso me faz pensar que deve ter sido exatamente assim durante a vida de Buda e seus arhats liberados".

Então lembrou uma história: Certa vez o Senhor Buda e seus discípulos — incluindo Ananda, Kasyapa e outros — estavam caminhando quando viram uma grande pepita de ouro no chão. Enquanto passavam, um após o outro exclamava: "Veneno!".

Uma garotinha, que estava colhendo lenha ali por perto, ouviu isto. Depois que eles se foram, ela viu a pepita, sem saber exatamente o que era. Ela pensou: "Que estranho — aqui está uma peça bonita e bela de pedra amarela, e todos os estimados arhats pularam por ela e evitaram tocá-la, exclamando 'Veneno!'. Deve ser algo que eu também não devo tocar".

A criança correu para contar isso a sua mãe. "Hoje vi um tipo esquisito de veneno", ela começou, relatando o que havia ocorrido.

Sua mãe foi imediatamente checar. Ela achou o ouro, levou-o para casa e utilizou-o para patrocinar oferendas religiosas.

Como fogo, as notícias se espalharam de que o Buda e seus amigos renunciantes haviam intencionalmente evitado uma peça de ouro, deixando-a na relva, e além disso que a haviam chamado de veneno.

Tsewang Norbu sentiu-se muito edificado, inspirado por ver — que mesmo nos tempos modernos - seu professor Patrul Rinpoche espontaneamente seguia os passos de Buda.





Se você vê mérito nos tópicos tratados, divulgue — comente e partilhe nas redes sociais. É uma prática de generosidade que ajuda na minha própria prática de generosidade de produzir e disponibilizar esse conteúdo. Outras formas de ajudar.
tzal.org é produzido por
Padma Dorje.

e-mail

boletim informativo

Tendrel: conexões auspiciosas
canal no YouTube




Banco do Brasil (001)
ag 3.240-9 cc 123.017-4



Sugestões de patronagem recorrente (mensal):








todo conteúdo, design e programação por Eduardo Pinheiro, 2003-2019
(exceto onde esteja explicitamente indicado de outra forma)
Licença Creative CommonsEste obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Por favor, quando divulgar algo deste site, evite copiar o conteúdo todo de um texto; escolha um trecho de um ou dois parágrafos e coloque um link. O material aqui é revisado constantemente, e páginas repetidas na internet perdem ranking perante o Google (a sua e a minha).

https://tzal.org/a-prata-e-um-veneno/