contain  multitudes  •  por  Padma  Dorje  •  fundado  em  2003
contain  multitudes
HomeBudismoTraduçõesPrece ao despertar

Prece ao despertar

This page has an English counterpart. (Esta página tem uma versão em inglês).


Áudio também disponível no YouTube, SoundCloud, Apple e Spotify.

ཟབ་ཆོས་ཞི་ཁྲོ་དགོངས་པ་རང་གྲོལ་ལས། སྔོན་འགྲོ་རང་རྒྱུད་སྦྱོང་བྱེད་འདི་བཞིན་བྱེད་ན་ལེགས།
A profunda autoliberação dos pacíficos e irados [de Karma Lingpa]. A excelente preliminar de purificação da mente.

Os trechos acinzentados não são recitados pelo Rinpoche no áudio, mas estão no texto original. O trecho de três versos em vermelho parece diferente do que o Rinpoche realmente recita.

ཀྱེ་མ་ཀྱི་ཧུ་སྐལ་ལྡན་རིགས་ཀྱི་བུ།། མ་རིག་གཏི་མུག་དབང་གིས་མ་ནོན་པར།
kyema kyihu kalden rikkyi pu / marik timuk wangki manönpar
Kyema! Kyihu! [Que pena! Que dó!] Ó filho afortunado de nobre família! Não se deixe subjugar pelas forças da ignorância e estupidez.

།བརྩོན་འགྲུས་ངར་བསྐྱེད་ད་ལྟ་ཡར་ལོངས་དང། །ཐོགས་མེད་དུས་ནས་ད་ལ་ཐུག་གི་བར།
tsöndrü ngarkye tata yarlong tang / thokme tüne tala thukki par
Mas, com vigor e entusiasmo, acorda agora mesmo! Desde os tempos sem princípio até este momento,

།མ་རིག་དབང་གིས་ཉལ་ཡུན་དེས་ཆོག་གི །ད་ནི་མ་ཉལ་སྒོ་གསུམ་དགེ་ལ་འབད།
marik wangki nyalyün techok ki / tani manyal gosum gela be
Sob o poder da ignorância, você teve mais do que tempo suficiente para dormir. Então não sucumba mais ao torpor do sono, mas se aplique na virtude em corpo, fala e mente!

།སྐྱེ་རྒ་ན་འཆིའི་སྡུག་བསྔལ་མི་ཤེས་སམ། །དེ་རིང་ཙམ་ཡང་རྟག་པའི་གོ་སྐབས་མེད།
kyega nachi dukngal mishe sam / tering tsamyang takpe kokap me
Você se esqueceu dos sofrimentos do nascimento, velhice, doença e morte? Não há garantia alguma; a promessa desta vida pode muito bem acabar hoje mesmo.

།སྒྲུབ་ལ་བརྩོན་འགྲུས་བསྐྱེད་པའི་དུས་ལ་བབ། །ད་རེས་གཅིག་པུས་གཏན་བདེ་སྒྲུབ་དུས་འདིར།
drubla tsöndrü kyepe tüla pab / tare chikpü tende drubtü dir
Chegou a hora de gerar entusiasmo pela prática. Esta é a oportunidade única de atingir a felicidade incessante,

།སྙོམ་ལས་ངང་ལ་སྡོད་པའི་དུས་མ་ཡིན། །འཆི་བ་སོམས་ལ་སྒྲུབ་པ་མཐའ་རུ་སྐྱོལ།
nyomle ngangla döpe tü mayin / chiwa somla drubpa tharu kyol
Então agora não é a hora de chafurdar na preguiça. Começando com a reflexão sobre a morte, você deve levar a prática até a completude!

།ཚེ་ལ་ལོངས་མེད་འཆི་རྐྱེན་བསམ་མི་ཁྱབ། །དེ་ཚེ་མི་འཚེར་གདེང་ཞིག་མ་ཐོབ་ན།
tsela longme chikyen sam mikhyab / tetse mitser dengzhik mathob na
A vida não nos permite perder tempo, e as possíveis circunstâncias da morte estão além da imaginação. Se você ainda não atingiu uma certeza confiante e destemida,

།སྐྱེས་བུ་ཁྱོད་ཉིད་གསོན་པས་ཅི་ཞིག་རུང། །ཆོས་རྣམས་བདག་མེད་སྟོང་ཞིང་སྤྲོས་དང་བྲལ།
kyepu khyönyi sönpe chizhik rung / chönam dakme tongzhing trötang tral
Qual é o propósito da vida, amigo senciente? Todos os fenômenos são destituídos de um eu, vazios e livres de complexidade.

།སྒྱུ་མ་རྨིག་རྒྱུ་རྨི་ལམ་གཟུགས་བརྙན་དང། །དྲི་ཟའི་གྲོང་ཁྱེར་བྲག་ཆ་ལྟ་བུར་སྤྱོད།
gyuma mikgyu milam zuknyen tang / trize trongkhyer trakcha tapur chö
Em sua dinâmica eles lembram uma ilusão, uma miragem, um sonho, um reflexo num espelho,

།ཆུ་ཟླ་ཆུ་བུར་མིག་ཡོར་སྤྲུལ་པ་སོགས། །ཤེས་བྱ་སྒྱུ་མའི་དཔེ་བཅུ་དེ་བཞིན་དུ།
chuda chupur mikyor trulpa sok / shecha gyume pechu tezhintu
Uma cidade celestial, um eco, um reflexo da lua na água, uma bolha, uma ilusão de ótica e um fantasma. Você deve saber que todas as coisas no samsara e no nirvana

།འཁོར་འདས་ཆོས་རྣམས་ཁྱོད་ཀྱིས་ཤེས་པར་གྱིས། །ཆོས་རྣམས་རང་བཞིན་སྐྱེ་བ་མེད་པ་སྟེ།
khorde chönam khyökyi shepar kyi / chönam rangzhin kyewa mepa te
São como esses conhecidos dez exemplos da ilusão. Tudo que aparece é naturalmente não criado,

།གནས་མེད་འགགས་མེད་འགྲོ་འོང་མེད་པའོ། །དམིགས་མེད་མཚན་མ་མེད་ཅིང་བསམ་བརྗོད་བྲལ།
neme gakme drong mepao / mikme tsenma meching sam jötral
Não permanece nem cessa, livre de ir e vir, livre de referências e características, é inconcebível e inexprimível.

།དོན་དེ་རྟོགས་པར་བྱ་བའི་དུས་ལ་བབས། །ན་མོ་གུ་རུ་བྷྱཿ ན་མོ་དྷེ་ཝ་བྷྱཿ ན་མོ་ཌཱ་ཀི་ནི་བྷྱཿ
tönte tokpar chawe tüla pap / namo kuru bhye namo deva bhye namo dakini bhye
Chegou a hora de reconhecer essa verdade! Homenagem ao Professorཿ Homenagem à Deidadeཿ Homenagem à Dakiniཿ

ཀྱེ་མ་ཀྱེ་མ་མི་རྟག་འཁོར་བའི་ཆོས། །ཐར་མེད་ལས་ཀྱི་རྒྱ་མཚོ་དོང་རིང་འདིར།
kyema kyema mitak khorwe chö / tharme lekyi gyamtso tongring dir
Que pena! Que pena! Tal é a natureza impermanente da existência cíclica. [Afogando-se] neste abismo profundo, o oceano caudaloso de suas ações passadas,

།ལས་ཀྱིས་མནར་བའི་འགྲོ་རྣམས་སྙིང་རེ་རྗེ། །སྡུག་བསྔལ་རྒྱ་མཚོ་སྐེམ་པར་བྱིན་གྱིས་རློབས།
lekyi narwe dronam nyingre je / dukngal gyamtso kempar chingyi lob
Quão necessitados de compaixão são todos os seres, atormentados por seu carma! Conceda suas bênçãos para que eu possa secar esse oceano de sofrimento.

།མ་རིག་ལས་ཀྱིས་མནར་བའི་འགྲོ་བ་རྣམས། །བདེ་བ་འདོད་ཕྱིར་སྡུག་བསྔལ་ལས་ལ་སྤྱོད།
marik lekyi narwe drowa nam / dewa döchir dukngal lela chö
Todos os seres, atormentados pela ignorância e pelo carma, em sua busca por felicidade, só criam o carma pelo qual sofrem.

།ཐབས་མི་མཁས་པའི་འགྲོ་རྣམས་སྙིང་རེ་རྗེ། །ཉོན་མོངས་ལས་སྒྲིབ་དག་པར་བྱིན་གྱིས་རློབས།
thapmi khepe dronam nyingre je / nyönmong ledrib takpar chingyi lob
Quão necessitados de compaixão são todos os seres, tão inábeis [em suas ações]. Conceda suas bênçãos para que eu possa dissipar seus obscurecimentos, as aflições emocionais e o carma.

།བདག་འདོད་གཟུང་འཛིན་བཅིངས་པའི་བཙོན་ར་འདིར། །རི་དྭགས་རྒྱར་ཆུད་སླར་ཡང་འཇུག་པ་ལྟར།
dadö zungdzin chingpe tsönra dir / ritak gyarchü laryang jukpa tar
Encarcerados na prisão do autocentramento e da fixação dualista, como animais selvagens que caem na mesma armadilha, vez após vez!

།མ་རིག་གཏི་མུག་ཅན་རྣམས་སྙིང་རེ་རྗེ། །འཁོར་བ་དོང་ནས་སྤྲུགས་པར་བྱིན་གྱིས་རློབས།
marik timuk chennam nyingre je / khorwa tongne trukpar chingyi lob
Quão necessitados de compaixão são os afligidos pela ignorância e estupidez. Conceda suas bençãos para que eu possa dragar o samsara desde suas profundezas.

།ཐར་མེད་ལས་ཀྱི་གྲོང་ཁྱེར་དྲུག་པོ་འདིར། །གཅིག་ནས་གཅིག་ཏུ་ཟོ་ཆུའི་ཁྱུད་མོ་བཞིན།
tharme lekyi trongkhyer trukpo dir / chikne chiktu zochü khyümo zhin
Nesta cidade de seis dimensões do aprisionamento pelas ações passadas, girando sem parar como se na borda de uma roda d'água

།ཐར་མེད་འཁོར་བའི་འགྲོ་རྣམས་སྙིང་རེ་རྗེ། །རིགས་དྲུག་སྐྱེ་སྒོ་ཆོད་པར་བྱིན་གྱིས་རློབས།
tharme khorwe dronam nyingre je / riktruk kyego chöpar chingyi lob
Quão necessitados de compaixão são os seres samsários rodopiando sem fim. Conceda suas bênçãos para que eu feche as portas do nascimento nos seis reinos.

།སྐྱེ་རྒ་ན་དང་འཆི་བའི་སྡུག་བསྔལ་རྣམས། །ཅི་ཙམ་མཐོང་ཡང་མི་འཇིགས་སྙིང་སྲན་ཅན།
kyega natang chiwe dukngal nam / chitsam thongyang mijik nying senchen
Os sofrimentos de nascimento, velhice, doença e morte... Embora eu os reconheça, não os temo, e meu coração fica cada vez mais endurecido.

།ཡེངས་མ་ལམ་ལ་དལ་འབྱོར་མི་ཚེ་ཟད། །མི་རྟག་འཆི་བ་དྲན་པར་བྱིན་གྱིས་རློབས།
yengma lamla taljor mitse ze / mitak chiwa trenpar chingyi lob
No estado de distração, as liberdades e oportunidaes desta vida humana serão desperdiçadas. Conceda suas bênçãos para que eu possa sempre me lembrar da impermanência e da morte!

།མི་རྟག་བློ་གཏད་མེད་པར་མ་ཤེས་པས། །ད་དུང་འཁོར་བ་འདི་ལ་ཞེན་ཅིང་ཆགས།
mitak lo teme parma shepe / tatung khorwa dila zhenching chak
Sem reconhecer que as coisas impermanentes não são confiáveis, permanecemos apegados, fixados a esta existência cíclica.

།སྐྱིད་འདོད་ངང་ལ་མི་ཚེ་སྡུག་གིས་འདས། །འཁོར་བར་ཞེན་པ་ལོག་པར་བྱིན་གྱིས་རློབས།
kyidö ngangla mitse dukki de / khorwar zhenpa lokpar chingyi lob
Enquanto desejamos felicidade, a vida humana segue cheia de dor. Conceda suas bênçãos para que eu possa abandonar esse apego ao samsara.

།སྣོད་ཀྱི་འཇིག་རྟེན་མི་རྟག་མེ་ཆུས་འཇིག །བཅུད་ཀྱི་སེམས་ཅན་མི་རྟག་ལུས་སེམས་འབྲལ།
nökyi jikten mitak mechü jik / chükyi semchen mitak lüsem dral
Nosso ambiente impermanente será destruído por fogo e água. Os seres sencientes impermanentes ali contidos sofrerão a cisão do corpo e da mente.

།དབྱར་དགུན་སྟོན་དཔྱོན་ནམ་ཟླ་དུས་མི་རྟག །སྐྱོ་ཤས་གཏིང་ནས་སྐྱེ་བར་བྱིན་གྱིས་རློབས།
yargün tönchön namda tümi tak / kyoshe tingne kyewar chingyi lob
Assim como o verão, o inverno e o outono são estações que mudam, [todos] os momentos são impermanentes. Conceda suas bênçãos para que o cansaço [pelo samsara] surja do fundo [de meu coração].

།ན་ནིང་ད་ལོན་ནམ་ཟླའི་སྟོད་སྨད་དང་།
naning talön namde töme tang
Os anos, as estações, os dias e as noites

།ཞག་དང་ཉིན་མཚན་སྐད་ཅིག་དུས་མི་རྟག
/ zhaktang nyintsen kechik tümi tak
não duram um instante sequer.

།ལེགས་པར་བསམ་ནས་རང་ཉིད་འཆི་ལ་གཏུག །སྒྲུབ་ལ་སྙིང་རུས་ནུས་པར་བྱིན་གྱིས་རློབས།
lekpar samne rangnyi chila tuk / drubla nyingrü nüpar chingyi lob
Tendo contemplado bem estes pontos, que eu reconheça que me depararei com a morte! Conceda suas beçãos para que eu possa ter entusiasmo na prática!

།དལ་འབྱོར་འདི་ནི་ཤིན་ཏུ་རྙེད་དཀའ་ཡང་།
taljor dini shintu nyeka yang
Embora essas liberdades e oportunidades sejam tão difíceis de encontrar,

/ །འཆི་བདག་ནད་ཀྱིས་ཉེ་བར་བཏབ་པའི་ཚེ།
chidak nekyi nyewar tabpe tse
Quando o senhor da morte na forma da doença repentinamente ataca os migrantes,

།ཆོས་མེད་འགྲོ་རྣམས་སྟོང་ལོག་སྙིང་རེ་རྗེ། །ལོང་མེད་རྒྱུད་ལ་སྐྱེ་བར་བྱིན་གྱིས་རློབས།
chöme dronam tonglok nyingre je / longme gyüla kyewar chingyi lob
Quão necessitados de compaixão são aqueles que, destituídos de darma, retornam de mãos vazias [desta vida]! Conceda suas bênçãos para que [um senso] de urgência surja em nossas mentes!

།ཀྱེ་མ་ཀྱེ་ཧུད་དཀོན་མཆོག་ཐུགས་རྗེ་ཅན། །རྒྱལ་བ་ཁྱེད་ལ་བརྩེ་བའི་མཐུ་མངའ་བས།།
kyema kyehü könchok thukje chen / gyalwa khyela tsewe thu ngawe
Que dó! Que dó! Ó Joia Preciosa, corporificação da compaixão! Já que você, o Conquistador, possui um coração bondoso,

།བདག་སོགས་རིགས་དྲུག་འཁོར་བའི་སྡུག་བསྔལ་ལས།
dasok riktruk khorwe dukngal le /
Nos libere, agora mesmo, dos sofrimentos da existência cíclica!

།ད་ལྟ་ཉིད་དུ་ཐར་བར་བྱིན་གྱིས་རློབས།
tata nyitu tharwar chingyi lob
Conceda suas bênçãos para que eu e as seis classes de seres [possamos ser liberados].


Traduzido ao português por Padma Dorje em 2023. Uma das traduções para o inglês que usei é anônima, sendo possivelmente de Lama Chokyi Nyima (Richard Barron) ou de Oliver Boldizar. Nas propriedades do arquivo a última pessoa que o editou foi Maíra Rocha, e o autor está como “tendrel”1Embora eu tenha um canal no youtube com esse nome, eu nunca tive meu Microsoft Word configurado com essa palavra como autor; este arquivo está em meu computador, mas definitivamente não foi gerado nele.. A outra tradução vem da versão mais recente de Gyurme Dorje (a mais confiável publicada até agora) do tesouro de Karma Lingpa abreviado Shitro (Pacíficas e iradas, de onde orientalistas velhacos com agendas colonialistas extraíram o texto que decidiram chamar de Livro Tibetano dos Mortos) — sendo este texto a primeira parte do ngondro daquele ciclo, onde tradicionalmente se faz as contemplações sobre “os quatro pensamentos que levam a mente ao darma”. A versão em inglês aqui é uma mescla do que eu achei mais bonito e impactante entre as duas traduções, e também a tradução da primeira parte no inglês quebrado, ainda que incisivo e preciso, de S. Ema. Chagdud Rinpoche. Uma versão em português do início desta prece circulou pela internet no fim dos anos 1990 como sendo de autoria de Rinpoche, com o título Canção do Despertar2Canção do Despertar

Oh, oh, ser afortunado, não dorme agora
Diligente, acorda já
Desde o tempo sem princípio, ignorância dormindo, já basta disso
Agora não precisa mais dormir
Agora não durma e faça virtude com as três portas, corpo, fala e mente
Aí você lembra — nasce, doente, velho, morre?
Esse tipo de sofrimento, incomensurável e desmedido.
Não lembra disso?
Então hoje, com certeza, se temos o dia todo, não sabemos.
“Hoje não morro”, essa certeza não temos
Pratique com diligência — agora é a hora
Só temos essa oportunidade de fazer benefício duradouro
agora é a hora
Essa oportunidade aparece, e porque você desperdiça com preguiça?
Essa não é a hora da preguiça,
Pensa bastante, contempla, tudo é impermanente,
então você pratica e rapidamente realiza.
Quando chega a hora da morte, aí você está confiante.
Morte — tudo bem, você pensa.
Aí não tem arrependimento, então esse tipo de coisa você precisa realizar.
Se não tem essa confiança, qual é o propósito de sua vida então?
A natureza de todas as aparências é vazia e destituída de eu,
como a lua refletida na lua, bolha, alucinação,
emanações, ilusão, miragem, sonho, imagem no espelho, eco
tudo assim, como os exemplos da ilusão...
Todo o samsara, nirvana... tudo é assim
Reconhecendo tudo dessa forma
Nada fica, nada se vai, nada vem, nada é conceitualizável,
os objetos não têm características, são além do pensamento e da palavra,
Esse tipo de realização é para você atingir agora nesta vida.

As palavras de Chagdud Tulku Rinpoche ao alto-falante antes do amanhecer, no Khadro Ling. (Uma versão incorreta e mal atribuída da mesma prece termina com “realização que é sem sinais”, que confunde as palavras do original tibetano e das traduções oficiais como a de Gyurme Dorje, bem como não corresponde à transcrição em inglês das exatas palavras que o Rinpoche teria usado).
. A transliteração fonética do tibetano está de acordo com a ferramenta automática da The Tibetan & Himalayan Library, no padrão usado pelo Comitê Padmakara de Traduções.


• Áudio disponível no YouTube, SoundCloud, Apple e Spotify.

Voice of Tibet, CD de Chagdud Tulku Rinpoche que contém a faixa.

ཟབ་ཆོས་ཞི་ཁྲོ་དགོངས་པ་རང་གྲོལ་ལས།, Pecha (livro em tibetano e no formato de livro preferido pelos tibetanos, com folhas soltas) do Shitro de Karma Linga, esta prece começa na imagem número 5.

O Livro Tibetano dos Mortos como apropriação cultural, artigo de Padma Dorje em tzal.org sobre o abuso colonialista em nomear “O Livro Tibetano dos Mortos”.

• A tradução mais completa e recente do Shitro de Karma Linga (de onde também foi extraído o mais conhecido texto tibetano, O Livro Tibetano dos Mortos) em português e inglês, por Gyurme Dorje, que foi fonte parcial desta versão.

Recomendações de livros sobre budismo, artigo em tzal.org.

Centros de darma que recomendo, artigo em tzal.org.


1. ^ Embora eu tenha um canal no youtube com esse nome, eu nunca tive meu Microsoft Word configurado com essa palavra como autor; este arquivo está em meu computador, mas definitivamente não foi gerado nele.

2. ^ Canção do Despertar

Oh, oh, ser afortunado, não dorme agora
Diligente, acorda já
Desde o tempo sem princípio, ignorância dormindo, já basta disso
Agora não precisa mais dormir
Agora não durma e faça virtude com as três portas, corpo, fala e mente
Aí você lembra — nasce, doente, velho, morre?
Esse tipo de sofrimento, incomensurável e desmedido.
Não lembra disso?
Então hoje, com certeza, se temos o dia todo, não sabemos.
“Hoje não morro”, essa certeza não temos
Pratique com diligência — agora é a hora
Só temos essa oportunidade de fazer benefício duradouro
agora é a hora
Essa oportunidade aparece, e porque você desperdiça com preguiça?
Essa não é a hora da preguiça,
Pensa bastante, contempla, tudo é impermanente,
então você pratica e rapidamente realiza.
Quando chega a hora da morte, aí você está confiante.
Morte — tudo bem, você pensa.
Aí não tem arrependimento, então esse tipo de coisa você precisa realizar.
Se não tem essa confiança, qual é o propósito de sua vida então?
A natureza de todas as aparências é vazia e destituída de eu,
como a lua refletida na lua, bolha, alucinação,
emanações, ilusão, miragem, sonho, imagem no espelho, eco
tudo assim, como os exemplos da ilusão...
Todo o samsara, nirvana... tudo é assim
Reconhecendo tudo dessa forma
Nada fica, nada se vai, nada vem, nada é conceitualizável,
os objetos não têm características, são além do pensamento e da palavra,
Esse tipo de realização é para você atingir agora nesta vida.

As palavras de Chagdud Tulku Rinpoche ao alto-falante antes do amanhecer, no Khadro Ling. (Uma versão incorreta e mal atribuída da mesma prece termina com “realização que é sem sinais”, que confunde as palavras do original tibetano e das traduções oficiais como a de Gyurme Dorje, bem como não corresponde à transcrição em inglês das exatas palavras que o Rinpoche teria usado).

Trecho de ensinamento de S. Ema. Chagdud Tulku Rinpoche e tradução por Lama Sherab Drolma.SOUNDCLOUD

A morte e o regozijo com a vida

Trecho de ensinamento de S. Ema. Chagdud Tulku Rinpoche e tradução por Lama Sherab Drolma.
Não existe “livro tibetano dos mortos”. O texto a que se deu esse título não foi escrito com necessariamente os mortos em vista, nem é tibetano no sentido de ser aceito por toda a cultura tibetana.tzal.org

“O Livro Tibetano dos Mortos” como apropriação cultural

Não existe “livro tibetano dos mortos”. O texto a que se deu esse título não foi escrito com necessariamente os mortos em vista, nem é tibetano no sentido de ser aceito por toda a cultura tibetana.
Rinpoche se estabeleceu no Brasil por reconhecer o potencial de devoção nos alunos brasileiros.VIMEO

Chagdud Tulku Rinpoche no Brasil

Rinpoche se estabeleceu no Brasil por reconhecer o potencial de devoção nos alunos brasileiros.
Com depoimentos de praticantes (Leda, Maria Ruth, Lama Sherab, Clarita, Maria Ignez) sobre o primeiro retiro Dzogtchen no Brasil.medium

O senhor do Chagdud Gonpa Brasil

Com depoimentos de praticantes (Leda, Maria Ruth, Lama Sherab, Clarita, Maria Ignez) sobre o primeiro retiro Dzogtchen no Brasil.



Se você vê mérito nos tópicos tratados, divulgue -- comente e partilhe nas redes sociais. É uma prática de generosidade que ajuda na minha própria prática de generosidade de produzir e disponibilizar esse conteúdo. Outras formas de ajudar.


Tigela de esmolas para contribuições.

Ajude tzal.org (contribuições mensais):

• PayPal, em qualquer valor acima de 10 reais

• Stripe, 30 reais por mês

• Mercado pago, contribuição mensal de qualquer valor.


Para contribuição única:

• Pelo PIX

• PayPal

• Stripe

• Mercado Pago



todo conteúdo, design e programação por Eduardo Pinheiro, 2003-2024
(exceto onde esteja explicitamente indicado de outra forma)

Esta obra é licenciada em termos da CC BY-NC-ND 4.0 Creative Commons. Atribuição. Não comercial. Sem derivações.



Por favor, quando divulgar algo deste site, evite copiar o conteúdo todo de um texto; escolha um trecho de um ou dois parágrafos e coloque um link. O material aqui é revisado constantemente, e páginas repetidas na internet perdem ranking perante o Google (a sua e a minha).