contain  multitudes
budismosobre mimtraduçãoartigoslivrosmúsicapatronagemagendamapa do site
Home > Pessoal > Artigos encomendados

Artigos encomendados

Escrevo artigos sob encomenda, com pauta a discutir dentro de uma boa gama de assuntos, por 30 centavos a palavra1Contadas pelo Microsoft Word. O contrato é pelo número mínimo de palavras, o que eu escrever acima disso fica por minha conta, a não ser que o cliente queira estabelecer um limite superior.. Forneço direitos ilimitados não exclusivos de publicação2Isto é, o contratante pode publicar o texto no meio contratado pelo tempo que entender, em quantas edições quiser (caso seja material impresso), e eu reservo o direito de vender o texto para outros veículos — por gentileza em geral consulto o contratante antes de fazer isso, para evitar algum dano no relacionamento, especialmente se este for contínuo., respeitada a autoria3Esta não é uma oferta de ghostwriting! Não faço monografias, dissertações, teses ou temas de casa que não sejam assinados com meu próprio nome — e que não fiquem publicamente disponíveis sob meu nome!. Contatos pelo e-mail.

(Além da oferta de trabalho como articulista, há outras formas de promover este site e meu trabalho como escritor, tradutor, músico, professor e palestrante.)

Abaixo estão listados 120 de meus trabalhos remunerados como articulista, escritos a pedido do Papo de Homem4Por que escrevi para o Papo de Homem, e por que não escrevo mais., Editora Lúcida Letra e Buda Virtual.5Os 13 artigos que escrevi para o Portal Homem da Natura saíram do ar, mas em breve os publicarei na forma de livro Sobre o uso dos textos abaixo, favor consultar as respectivas publicações. Os artigos listados abaixo somam em torno de 330.000 palavras.

Não é adequado simplesmente copiar e colar o texto em seu site/blog. O Google não gosta disso, e assim diminui o ranking de páginas que surgem repetidas, tanto a sua quanto a minha. Porém, com autorização dos editores e do autor, os textos podem ser em alguns casos reutilizados em publicações. Você pode, é claro, livremente no seu próprio site/blog, citar um ou dois parágrafos, linkar para o texto no site original e adicionar, ou não, um comentário. Quanto a isso nada obsta. E, por favor, compartilhe à vontade esses links em redes sociais.

Budismo e terapia

2300 palavras, 12 minutos de leitura
Qual a relação do budismo com a noção de terapia? Como práticas terapêuticas podem se coadunar com a prática do darma? Qual a diferença entre a motivação correta para buscar o darma e a motivação para buscar ajuda para questões pessoais?

A beleza da futura Dalai Lama: budismo e feminismo

3900 palavras, 20 minutos de leitura
Embora o budismo tenha ao longo de sua história muitas vezes corroborado visões machistas , há também motivos para regozijar com a presença do feminino na tradição.

O conceito de mérito no budismo

8500 palavras, 34 minutos de leitura
O termo “mérito” no contexto budista não diz respeito a “meritocracia” e outras noções ideológicas, mas ao que se refere exatamente?

Nojo pelo nirvana: o bodisatva e a intenção iluminada

3500 palavras, 17 minutos de leitura
Segundo Shantideva, os bodisatvas precisam sentir ânsia de vômito ao pensar no nirvana. Por que isso?

Como lidar com a cultura e o entretenimento enquanto budista

4000 palavras, 20 minutos de leitura
O budismo consiste de uma série de treinamentos que visam deixar a mente receptiva para uma análise final da realidade. Como a cultura e o entretenimento podem ajudar ou prejudicar nessa empreitada?

Budismo e mistificação quântica

4500 palavras, 22 minutos de leitura
"É física quântica, bichinho." O que há de distorções e verdades na relação entre os dois assuntos?

O clássico cortante: Além do Materialismo Espiritual

3700 palavras, 18 minutos de leitura
Um texto para o relançamento do livro seminal de Chogyam Trungpa Rinpoche, com uma explicação dos três bárbaros do materialismo (materialismo convencional, psicológico e espiritual).

Continuidade no darma: keep going

3400 palavras, 17 minutos de leitura
O que está por trás da expressão "keep going" que S. Ema. Chagdud Tulku Rinpoche sempre utilizava? Texto escrito para comemoração do aniversário de Chagdud Rinpoche em 2016, 13 anos após seu parinirvana.

O treinamento da mente e o esplendor

6100 palavras, 30 minutos de leitura
Como evitar o pacto de mediocridade com o mínimo denominador da cultura e desenvolver interdependência com o que é auspicioso?

Mingyur Rinpoche, o professor da estabilidade adamantina

1500 palavras, 7 minutos de leitura
Elegia ao professor, uma breve explicação de seu nome e da natureza de seu retiro andarilho.

Religião, Ciência e Multiculturalismo

1800 palavras, 9 minutos de leitura
O budismo muitas vezes pode não ser o ensinamento mais adequado para todos? O que isto implica?

Religião Não se Discute

1500 palavras, 7 minutos de leitura
Será mesmo? Talvez não em qualquer lugar, com qualquer pessoa...

Superando as preferencias: liberdade perante os automatismos

3000 palavras, 15 minutos de leitura
Entre acharmos que já somos livres e nos acomodarmos, ou encontrarmos o desespero e o autoengano perante os obstáculos internos, o que o budismo fala da escravidão a estruturas mentais?

A prática do altar

9000 palavras, 45 minutos de leitura
Cada vez mais encontramos pessoas que se consideram praticantes mas nem cogitaram ainda ter um altar em casa. Como corrigir isso?

A proposta secular do Dalai Lama

1800 palavras, 9 minutos de leitura
Sua Santidade explora uma versão mais ampla de secularismo, como expressa no livro Além de Religião.

Internet capada: a escassez artificial das teles

6000 palavras, 30 minutos de leitura
Quais as motivações mais profundas da problemática de inserir a questão da franquia de dados nos planos de internet no Brasil?

Para o budismo, só o Buda salva?

9500 palavras, 47 minutos de leitura
Uma visão panorâmica e crítica da tendência universalista predominante (a ideia de que todas as religiões dizem as mesmas coisas com outras palavras), em contraponto aos ensinamentos budistas tradicionais que dizem respeito aos "três defeitos do pote".

Prática formal e ajudar o mundo, uma falsa dicotomia

2900 palavras, 15 minutos de leitura
Budismo engajado implica que exista budismo não engajado: budismo focado numa prática que não beneficia os outros existe?

Verdades que Matam (Talk Radio, 1988)

2000 palavras, 10 minutos de leitura
Sobre o filme de 1988 dirigido por Oliver Stone e protagonizado por Eric Bogosian.

Apocalipse agora: como a religião influencia a política

1800 palavras, 9 minutos de leitura
A relação do pensamento apocalíptico com o conservadorismo.

Eternalismo, niilismo e outros extremos

7600 palavras, 38 minutos de leitura
Quando falamos em Caminho do Meio no contexto budista, podemos estar nos referindo a várias coisas. Neste texto examino aspectos da polêmica budista em torno de extremos filosóficos e como lidar com eles.

Intempéries Portoalegrenses

2000 palavras, 10 minutos de leitura
Minha relação com tempestade ocorrida em Porto Alegre em janeiro de 2016.

Crispin Glover e a Via Negativa

1600 palavras, 10 minutos de leitura
Teologia medieval e George McFly, como encontrar alguém através do que ele não é.

Seriam os reinos budistas apenas metáforas?

8000 palavras, 40 minutos de leitura
Muitas vezes os professores do darma, em particular no ocidente, adotam uma interpretação psicológica quanto aos elementos budistas menos palatáveis ao gosto moderno, principalmente quando tais aspectos parecem desafiar as superstições materialistas prevalentes. Mas é mesmo preciso acreditar na existência efetiva de vários céus e infernos para praticar o darma? Os reinos de sofrimento, as terras puras e seus habitantes realmente existem de acordo com as expectativas e valores da Índia medieval – rios de lava ou leite com mel, palácios e adereços próprios das monarquias védicas, e criaturas tais como yakshas, rakshasas, gandarvas, nagas e pretas?

Glamourização do hedonismo

1600 palavras, 8 minutos de leitura
O "paradoxo do hedonismo” é descrito como o fato de que a busca pelo prazer, não é em si, fonte de prazer. A sociedade moderna com sua propaganda incessante tornam o consumo um ciclo vicioso, e um exemplo disso, com o consumo mais conspícuo de todos, é O Comedor de Ópio, de Thomas De Quincey.

Além dos conceitos: o intelecto visto como obstáculo

7400 palavras, 37 minutos de leitura
Nem toda forma de conceitualidade é ruim, nem toda forma de não conceitualidade é boa. As armadilhas dos estereótipos ligados ao pensamento asiático e ao budismo.

Easy Rider: o espírito independente do transcendentalismo

1500 palavras, 7 minutos de leitura
Como a independência do transcendentalismo foi cooptada como produto e vendida como parte do american way of life.

Chogyam Trungpa e o budismo da louca sabedoria

2800 palavras, 14 minutos de leitura
Promovendo o lançamento da tradução, uma elegia a Trungpa Rinpoche.

Criticar o capitalismo não é coisa de comunista

1500 palavras, 7 minutos de leitura
Porque criticar o capitalismo vai além de querer substituí-lo pelas experiências fracassadas de socialismo/comunismo no séc. XX.

Budismo de museu versus budismo descolado

3200 palavras, 16 minutos de leitura
Adaptar o budismo à modernidade ou preservar os ensinamentos? Uma falsa dicotomia.

O mistério como desculpa

1500 palavras, 7 minutos de leitura
A proximidade contraintutiva entre razão e emoção.

Filosofia da linguagem e vacuidade

4600 palavras, 23 minutos de leitura
O que Buda e Wittgenstein têm em comum? Uma breve comparação da noção de vacuidade como exposta pela prasangika madhyamaka e o segundo Wittgenstein.

O Zen Canalha de Steve Jobs

4600 palavras, 23 minutos de leitura
A principal ideia de zen que dominou a cultura, e influenciou Jobs, é uma distorção dos ensinamentos do Buda, e intensifica a alienação dos consumidores e a relação das pessoas com o mundo por promover ativamente a indiferença.

Buda Rebelde: minha experiência de tradução do livro e algo sobre as quatro confianças

1800 palavras, 9 minutos de leitura
A Editora Lúcida Letra me convidou para escrever algumas palavras sobre um ensinamento contido na pág. 168 do livro, “As Quatro Confianças”.

Rumi: amor sensual e devoção pelo amado

1400 palavras, 7 minutos de leitura
Que o amado se desgrace, seja louco, perca a cabeça. // Um sóbrio se preocuparia com um final infeliz. Que o amado seja o que é.

Borges, autor de Borges

1100 palavras, 5 minutos de leitura
O conundrum de Borges em meio a uma louvaminha do autor.

Dificuldades na tradução do darma

7000 palavras, 35 minutos de leitura
Um panorama amplo da situação da tradução budista para línguas ocidentais, em particular para o português, com algumas discussões pontuais.

A húbris científica

2800 palavras, 14 minutos de leitura
A ciência anda confiando demais no próprio taco, projetando uma sombra sobre o futuro.

Existe budismo sem renascimento?

7300 palavras, 36 minutos de leitura
Renascimento no budismo já não era um tópico fácil antes da cultura ser predominantemente materialista. O que o renascimento ainda pode nos ensinar?

Romantismo à moda antiga

2000 palavras, 10 minutos de leitura
O que o romantismo (oitocentista) ainda tem a nos dizer, se é que tem?

Ventos uivantes: o fascínio da intensidade gótica

2600 palavras, 13 minutos de leitura
O que significa ler hoje? Como a angústia e a repressão vitorianas ainda podem nos tocar?

Materialismo: não chega nem a estar errado

1500 palavras, 8 minutos de leitura
A visão predominante hoje é o materialismo, mas ele tem algum embasamento?

Filosofia de mesa de bar

1200 palavras, 6 minutos de leitura
Uma série de pegadinhas sobre a dicotomia analítico/continental.

8 séries da comédia na TV britânica

900 palavras, 4 minutos de leitura
Resenha de alguns sitcoms e programas de quadros humorísticos ingleses.

Uma breve história do budismo

4000 palavras, 20 minutos de leitura
No Saga Dawa (período onde se comemora o nascimento, iluminação e morte do Buda Sakyamuni) 2015 surgiu o convite de escrever uma história do budismo apertadinha em 3500 caracteres.

Desigualdade, Mané

3300 palavras, 17 minutos de leitura
Tem gente que ainda acha que o aumento crescente da desigualdade não é um problema a ser solucionado. Gente que é Mané, claro.

"Iluminação" e outras luminosidades budistas

3800 palavras, 19 minutos de leitura
De onde vem o conceito de iluminação no budismo? O que é a iluminação, e quais as outras metáforas de luz na tradição budista?

Revisitando a Zona

1400 palavras, 7 minutos de leitura
Mais uma elegia ao filme Stalker, de Andrei Tarkovski.

O erro como possibilidade

1400 palavras, 7 minutos de leitura
Uma bobagem de autoajuda que escrevi quando estava passando meio mal e já tinha postergado o prazo de entrega vários dias.

A derrocada do "faça você mesmo"

1700 palavras, 9 minutos de leitura
Como cada vez mais as empresas (especialmente as de tecnologia) impedem a modificação e livre utilização de seus produtos.

O cinzeiro sujo da alma, uma reflexão sobre o noir

2000 palavras, 10 minutos de leitura
A sujeira humana superestilizada do noir e porque ela nos atrai.

Os gatinhos fofinhos tomaram a cultura de assalto

1300 palavras, 7 minutos de leitura
De parasitas que nos controlam à internet livre, porque os gatos repentinamente ficaram tão mais importantes?

A Iniciação de Kalachakra

1300 palavras, 7 minutos de leitura
Em 2015 o Brasil vai hospedar pela segunda vez a iniciação de Kalachakra. O que é uma iniciação para o budismo tibetano? O que representa essa iniciação em particular?

A comoditização do tempo

3000 palavras, 15 minutos de leitura
"Tempo é dinheiro" não é uma afirmação, é um conjuro do capitalismo.

Cadê a sátira?

1700 palavras, 9 minutos de leitura
A sátira no Brasil morreu com Machado de Assis.

A prática do boicote num mundo interligado

1900 palavras, 10 minutos de leitura
Por que hoje faz mais sentindo boicotar as corporações do que votar?

11 filmes que vi quando criança e me impressionaram

1500 palavras, 8 minutos de leitura
Alguns filmes inusitados de se recomendar em plenos 2015 anos DC.

A propaganda da liberdade

1100 palavras, 6 minutos de leitura
Incontinência/acrasia e a questão da ênfase de nossa sociedade na suposta "liberdade" individual.

A comunicação perfeita é possivel?

1700 palavras, 9 minutos de leitura
O problema da comunicação é a semântica, e a semântica diz respeito ao problema difícil da consciência.

Três grandes ondas de distorção do budismo no ocidente: 1a. onda, a distorção dos filósofos

4600 palavras, 23 minutos de leitura
Como os primeiros contatos do budismo com o iluminismo e a filosofia de Schopenhauer deixaram marcas que vivem até hoje na visão popular e acadêmica, e sobretudo na produção textual sobre o assunto em línguas ocidentais.

Três grandes ondas de distorção do budismo no ocidente: 2a. onda, a distorção dos românticos

6600 palavras, 33 minutos de leitura
Neste artigo são apresentadas distorções causadas pelo romantismo alemão/inglês, com viés no misticismo e universalismo da Teosofia e no irracionalismo de D.T. Suzuki. Ambas as distorções foram intensificadas pelo trabalho de C. G. Jung.

Três grandes ondas de distorção do budismo no ocidente: 3a. onda, a distorção dos descolados

7200 palavras, 36 minutos de leitura
Neste artigo são apresentadas distorções causadas pelo conexão dos beatniks e hippies com o budismo, bem como os desafios do darma numa cultura de capitalismo global.

22 artigos que podem incrementar sua inteligência

800 palavras, 4 minutos de leitura
Um valor ambíguo, que talvez possa ser incrementado. E que mesmo assim não é livre de problemas.

Cozinhar em casa é um ato político

1400 palavras, 7 minutos de leitura
Pilotar o fogão é assumir responsabilidade pelo que se come, e tentar se envolver com uma cadeia produtiva cada vez mais anônima.

McMindfulness: meditação com marca registrada

2800 palavras, 14 minutos de leitura
O que está por trás do uso insistente do termo “mindfulness” em termos de meditação, particularmente em modalidades seculares, e como ela se tornou um produto do supermercado espiritual.

Como aprendi inglês

3100 palavras, 15 minutos de leitura
Reminiscências sobre meu aprendizado da língua durante as décadas de 80 e 90, quando o material em inglês não era tão facilmente acessível.

Pega aí, pós-modernidade do relativismo linguístico

3300 palavras, 17 minutos de leitura
A língua que falamos altera a estrutura de nosso pensamento? Os altos e baixos da teoria da relatividade linguística, entrando em algumas conexões inusitadas com filosofia e literatura.

O sinistrismo inexorável da política

2600 palavras, 13 minutos de leitura
A direita ainda tem algo a dizer? Algum futuro intelectual, algum poder fora o financiamento de campanha?

A rara virtude do ostracismo ativo

1700 palavras, 9 minutos de leitura
Há coisas que merecem justamente nem mesmo ser criticadas. Ou, se as vamos criticar, precisamos algumas vezes cuidadosamente desvincular o objeto criticado de forma que ele não se torne ironicamente um trending topic.

31 links para entender coisas que você ainda não entendeu

1200 palavras, 6 minutos de leitura
Fatia de um pouco mais de uma semana de curadoria de links, com breves comentários.

Como e por que incomodo o leitor

1800 palavras, 9 minutos de leitura
Reflexão sobre minha atividade como homem bomba conceitual. Haters gonna hate.

Imperfeição como adorno da perfeição

1800 palavras, 9 minutos de leitura
Reflexão sobre cultura da obsolescência, wabi-sabi, e as dimensões éticas e estéticas da imperfeição como um valor ético/estético.

As premissas injustificadas da ciência

6800 palavras, 34 minutos de leitura
A maioria de nós acredita que as trevas do pensamento supersticioso e irracionalista, em que a vontade se confunde com realidade, foi absolutamente superado pela ciência. Porém, até que ponto a ciência realmente explica as coisas, e ela pode superar ou substituir de fato o sentimento religioso e prover sentido para a vida humana? Isso é uma pretensão verdadeiramente científica ou apenas expectativa de seus seguidores menos esclarecidos? Mais do que isso, o quanto ainda persiste de irracionalista na própria ciência?

O que é caráter?

1300 palavras, 7 minutos de leitura
O que seria ter caráter? Quando se tem caráter é possível perdê-lo? Há situações em que temos caráter e outras em que não? Isso nos torna possuídores de meio caráter ou de nenhum caráter?

Outsiders: aberrações gentis, 3 filmes

1600 palavras, 8 minutos de leitura
O Homem Elefante, Marcas do Destino e Freaks de Tod Browning analisados sob a perspectiva da tensão entre o pertencimento e a personalidade outsider.

A autenticidade e o exemplo imperfeito de Oscar Wilde

3000 palavras, 15 minutos de leitura
Oscar Wilde escreveu muitas vezes sobre autenticidade e duplicidade, sua vida espelha um bocado essa dicotomia.

Nacionalismo e patriotismo não fazem mais sentido

1400 palavras, 7 minutos de leitura
Depois da Segunda Grande Guerra o declínio dos ideais patrióticos é claro, porque isso ocorre e quais as consequências disso?

Bom gosto, o que é e por que desenvolver

3900 palavras, 19 minutos de leitura
Depois de escrever sobre economia da atenção e algumas questões pontuais de estética (ironia, elitismo, epifanias, a cultura da autoajuda) neste texto as duas áreas são combinadas.

Como baixar torrent, passo a passo

5800 palavras, 29 minutos de leitura (para as duas partes)
Algumas vezes encontramos pessoas que ainda não sabem fazer download por torrent, e que acham mais fácil preencher um formulário, com informações de cartão de crédito, do que seguir os quatro simples passos necessários para fazer um download por p2p. Este texto tem uma segunda parte.

Autoajuda quem?

2100 palavras, 10 minutos de leitura
Uma análise crítica do fenômeno pós-moderno do “desenvolvimento pessoal” como indústria e objeto de consumo.

Adam Curtis: dois documentários imprescindíveis

1000 palavras, 5 minutos de leitura
A BBC, como veículo de estado, e um estado com o maior histórico colonialista já visto, curiosamente persiste provocadora. Adam Curtis é o maior expoente da geração atual de documentaristas ingleses.

Meu apartamento tem senzala

500 palavras, 3 minutos de leitura
Você já parou para refletir sobre o que é uma “dependência de empregada”? Em certo sentido, talvez seja um exagero comparar um assalariado que mora no local de trabalho por conveniência a um regime de escravidão. Por outro lado, talvez a comparação seja interessante.

Emoção vicária, empatia e compaixão

1300 palavras, 6 minutos de leitura
Podemos nos engajar com os outros seres e o mundo externo de três formas convencionais e de três formas extraordinárias. As convencionais são: indiferença, aversão e interesse. As extraordinárias são empatia e compaixão.

Arte e psicanálise, a cultura molestada por Freud

2300 palavras, 11 minutos de leitura
Sobre a relação de via dupla da psicanálise com a arte, e algum comentário sobre a não relevância da psicanálise hoje.

Superman III: uma resenha

900 palavras, 4 minutos de leitura
Alguns comentários nostálgicos sobre um verdadeiro lixo enlatado do kitsch capitalismo.

O Cubo de Necker no texto: polissemia, linguagem crepuscular e lógica paraconsistente

2700 palavras, 13 minutos de leitura
Vários dos meios hábeis extraordinários que podem ser utilizados na sátira e outras formas textuais holográficas.

Por que “A Serious Man” é um de meus filmes favoritos

1900 palavras, 9 minutos de leitura
Serei eu suficientemente judeu para captar esse filme? É preciso entender a alma judaica para aproveitar bem esse filme?

5 filmes sobre Jesus Cristo

1500 palavras, 8 minutos de leitura
Embora tenha cursado o ensino fundamental numa tradicional escola católica de Porto Alegre, nunca cheguei a me considerar cristão. Aqui comento 5 filmes sobre Jesus dessa perspectiva inusitada.

Mais sobre teleologia: o gênio/demônio

1800 palavras, 9 minutos de leitura
A faísca que arde em cada um em inúmeras metáforas ao longo da história, evocando o fantasma na máquina e outras pirações dualistas, é a ideia de que haja um substrato transcendente operando simultaneamente com o autômato pavloviano-genético que conhecemos cotidianamente.

Breve ruminação hiperbólica de alguns clichês teleológicos

2800 palavras, 14 minutos de leitura
Tudo tem um plano? As coisas acontecem por que precisam acontecer? Nada é por acaso? E se o sentido da vida for mesmo 42? Você não tinha nenhuma chance senão ler esse texto.

Nostalgia nuclear

2700 palavras, 13 minutos de leitura
Dificilmente alguém pensaria num trauma sob o aspecto de saudade ou nostalgia, a não ser que tempo suficiente tenha passado.

7 documentários (e uns filmes) sobre seitas e falsos gurus

2200 palavras, 11 minutos de leitura
No livro Feet of Clay (“Pés de Barro”) Anthony Storr examina as características psicológicas que levam ao extremo carisma combinado com comportamento narcisista, psicopata ou criminoso de vários líderes (especialmente religiosos, mas não só). Aqui alguns documentários sobre seitas bizarras e líderes patológicos.

Breaking Bad na semântica

800 palavras, 4 minutos de leitura
Um amigo perguntou como traduziria o título da série "Breaking Bad".

Capitalismo: vamos então gameficar pra valer?

6000 palavras, 30 minutos de leitura
Qual poderia ser uma crítica produtiva com relação ao capitalismo? Até onde vai e até onde pode ir a abstração do “livre mercado”? Nos jogos de computador, há um esforço consciente para manter a jogabilidade e se adaptar a capacidade do jogador, não seria essa a função última da regulação?

11 documentários que você precisa assistir para entender o mundo hoje

1200 palavras, 6 minutos de leitura
Quando a complexidade de um grupo de entidades aumenta, as relações sinergéticas podem vir a produzir o que se define como “emergência”. Esta é uma propriedade do grupo que não pertence e não pode ser encontrada em nenhuma das partes.

Inteligência coletiva como processo emergente

1800 palavras, 9 minutos de leitura
Quando a complexidade de um grupo de entidades aumenta, as relações sinergéticas podem vir a produzir o que se define como “emergência”. Esta é uma propriedade do grupo que não pertence e não pode ser encontrada em nenhuma das partes.

Deus está vivo nas fibras óticas

1700 palavras, 8 minutos de leitura
Se por um lado nos horrorizamos perante o aprendizado de uma criança que nasceu depois das redes sociais vai ter que ter com o uso sempre público de sua imagem, com a urgência do desenvolvimento de critérios do que postar ou não – porque fica tudo registrado para sempre, e tudo pode servir para embaraçar, não empregar, julgar de todas as formas enfim – por outro lado isso não recuperaria exatamente um certo tipo de consciência moral pública que perdemos em certa medida com a morte de Deus?

A inútil luta com os galhos: o governo como boneco de Judas

1900 palavras, 9 minutos de leitura
Esse fato muito real escapa à maioria das pessoas que falam sobre o assunto: espera-se idoneidade moral de um político, mas não se desafia a ideia de que essa idoneidade não é possível com os grupos de interesse econômicos ativos neste momento no mundo – afinal, políticos isentos não recebem os apoios imprescindíveis para se eleger e “operar” o jogo político.

Antes de tudo, o inglês

1100 palavras, 5 minutos de leitura
O que essa pessoa pensa que está fazendo, querendo estudar esse assunto intrincado sem ao menos dominar o feijão com arroz do mundo atual, que é o inglês? Será que ela acha que, sei lá, programar computadores ou entender Descartes é mais fácil do que aprender inglês?

Incomensurabilidade e diferença

2100 palavras, 11 minutos de leitura
O que quer dizer que somos iguais, homem e mulher, árabe e polonês? O que nos faz diferentes e o que essa diferença significa?

Big Data: a análise monstra de um oceano de dados

1200 palavras, 6 minutos de leitura
Mas qual seria a diferença entre a big data e os processos de análise usuais, senão maior quantidade e talvez velocidade? Não será esse termo apenas mais uma buzzword do mundo da tecnologia que se mostra vacuosa após um período intenso de uso?

Dissecando a honra

1400 palavras, 7 minutos de leitura
A morte da honra e de um lastro mais sólido de valor na comunidade é, assim, por qualquer ângulo, intensamente transformadora, mas sem qualquer determinação no sentido de o quanto isso pode ser bom ou ruim. O desafio atual, ainda assim, segue em linhas semelhantes a nossos problemas ancestrais: como coadunar imagem e essência, indivíduo e coletividade.

Philip K. Dick e a paranoia gnóstica

3700 palavras, 18 minutos de leitura
K. Dick não só descreve e critica o mundo enganoso da supercorporação, ele é também produto do wasteland infinito da América suburbana dos shopping centers de brilho gasto, pedindo reforma, que hoje são simplesmente nossa cultura globalizada por todo lado.

Como e por que escrevo

2000 palavras, 10 minutos de leitura
Os labirintos bizantinos de sentido e expressão sucessivamente passando da reificação para a fluidez da dúvida, e de volta para algum nível de reificação rearranjados. Há uma estética na composição textual de qualidade que é matemática e poética simultaneamente.

Suicídio: sem justificativa

1400 palavras, 7 minutos de leitura
Em nossa cultura cada vez mais secular, o suicídio é progressivamente menos julgado como uma questão moral, de ação e deliberação: torna-se o mero produto de uma doença. Isso com certeza tem o lado positivo de poder ajudar a família a encontrar algum tipo de consolo, já que, ao menos em grande parte, as questões de saúde estão fora de seu controle. Mas, por outro lado, não lida com os fortes impactos culturais desta ação.

Você é um deficiente tecnológico?

5200 palavras, 26 minutos de leitura
Precisaremos ainda algumas décadas para analisar com imparcialidade as mudanças que ocorreram entre 1980 e 2010. A tecnologia da informação causou tantos impactos num período tão curto que todos nos sentimos ligeiramente perdidos quanto a esta ou aquela tendência, enquanto elas se sobrepõem ou contrapõem em rápida sucessão.

Ironia rasteira e ironia trágica

2300 palavras, 12 minutos de leitura
Quando cursei filosofia, meu interesse se voltou para os comentários de Kierkegaard sobre a ironia Socrática. O que me interessava na ideia de uma ação filosófica como primeiramente irônica vinha de uma experiência pessoal, em vários âmbitos, onde eu frequentemente percebia uma assimetria abismal entre duas pessoas tentando se comunicar.

Som: entre a fidelidade e a nostalgia

1700 palavras, 8 minutos de leitura
Você com certeza já se deparou com aquele defensor do vinil, dos amplificadores valvulados, com aquele crítico do som digital, mas será que é assim mesmo? Qual o fundamento para a preferência de um ou outro formato? Qual é objetivamente melhor?

Epigenética: além da competição por recursos

3500 palavras, 18 minutos de leitura
Será que a natureza nos ensina algo? Não teríamos substituido a confiança em Deus pelas interpretações biológicas, muitas vezes com viezes ideológicos? O que podemos aprender com a história do darwinismo?

Kurt Vonnegut Jr.: elegia ao humano

1400 palavras, 7 minutos de leitura
Em 1985, quando eu tinha 10 anos de idade, comecei a algumas vezes ir ao cinema sozinho. Numa dessas incursões assisti Back to School, De Volta a Escola, que era um veículo para o veterano comediante Rodney Dangerfield.

Slavoj Žižek: Velhacaria Hipster

3700 palavras, 18 minutos de leitura
E o maior regozijo que encontra é exatamente na quase sádica incerteza epistêmica que representa: ah, que irônico, mas será que … não, ele está brincando, mas brincando de brincar de estar brincando, no fundo, é só, como se diz em inglês smoke and mirrors – não tem nada ali senão o efeito de “cócega mental” que ele produz na plateia imatura.

Deep web, darknet, Tor: o lado escuro da internet

2300 palavras, 12 minutos de leitura
O que são criptoanarquia, deep web, jardins murados, darknet, Tor? Como funciona a anonimidade na rede, e que finalidades legítimas e criminosas ela pode servir?

7 filmes para você explorar o cinema da “nova onda” japonesa

2000 palavras, 10 minutos de leitura
Kurosawa pode realmente ser um grande diretor, mas a acusação usual é a de que ele fez cinema japonês “para exportação”, facilitado e palatável ao gosto ocidental. Já o cinema clássico Japonês, cujo maior expoente é Yasushiro Ozu, com seus enquadramentos fixos de 20 minutos sem cortes, é realmente um gosto adquirido.

Direta já: e se realmente colocássemos a mão na política?

1800 palavras, 9 minutos de leitura
O que é exatamente a Democracia Direta Eletrônica? Quais as vantagens e desvantagens de eliminar, em parte ou totalmente, o sistema de representação política?

Utopia, distopia e ficção científica

1400 palavras, 7 minutos de leitura
Particularmente com relação a como a tecnologia afeta nossa humanidade, a ficção científica tem nos preparado desde que Mary Shelley escreveu Frankenstein. Esse é o tema central desse gênero de literatura fantástica: seja ele mais crítico e desconfiado com a tecnologia, seja ele progressista, deslumbrado e propagandista com a mesma.

Etnocentrismo cavalar: não sabemos NADA sobre a Ásia

1400 palavras, 7 minutos de leitura
Pegue um grande erudito ocidental, digamos Umberto Eco, o que ele sabia sobre a Ásia era mais ou menos equivalente ao que você sabe. Talvez ele apenas desconfiasse mais da vastidão da coisa. E sim, isto é um etnocentrismo cavalar.

Criptografia, criptoanarquia e o problema de um milhão de dólares

1100 palavras, 5 minutos de leitura
O que é mais fácil: resolver um problema de matemática ou verificar a resposta ao mesmo problema feito por outra pessoa? Uma resposta para esta questão – acompanhada de uma demonstração e valendo para todos os problemas “fáceis” – vale um milhão de dólares e pode ter impactos vastos sobre a cultura.

Elitismo: de Paulo Coelho a James Joyce

1700 palavras, 8 minutos de leitura
Paulo Coelho diz que daria para resumir Ulisses, de James Joyce, a um twit... Dá para dizer mais que um twit disso?

Viciados em epifanias

900 palavras, 5 minutos de leitura
Mais uma descoberta interior, uma revelação inusitada sobre nossa condição, uma comparação espertinha entre âmbitos tremendamente diversos que pareça iluminar nosso cotidiano de sentido profundo? Ou apenas mais um fast food de autoajuda hipster?

Cópia de arquivos na internet: um raciocínio em 7 pontos curtos

900 palavras, 5 minutos de leitura
Sendo impossível impedir a cópia de material que não se quer ver copiado, esqueça imperativos supostamente éticos por um momento: foquemos na economia – o trabalho intelectual tem agora menos valor econômico. Isso é “bom”? Depende.

Última alteração da página referente a esta URL em 2017-04-29 05:13:20.


1. ^ Contadas pelo Microsoft Word. O contrato é pelo número mínimo de palavras, o que eu escrever acima disso fica por minha conta, a não ser que o cliente queira estabelecer um limite superior.

2. ^ Isto é, o contratante pode publicar o texto no meio contratado pelo tempo que entender, em quantas edições quiser (caso seja material impresso), e eu reservo o direito de vender o texto para outros veículos — por gentileza em geral consulto o contratante antes de fazer isso, para evitar algum dano no relacionamento, especialmente se este for contínuo.

3. ^ Esta não é uma oferta de ghostwriting! Não faço monografias, dissertações, teses ou temas de casa que não sejam assinados com meu próprio nome — e que não fiquem publicamente disponíveis sob meu nome!

4. ^ Por que escrevi para o Papo de Homem, e por que não escrevo mais.

5. ^ Os 13 artigos que escrevi para o Portal Homem da Natura saíram do ar, mas em breve os publicarei na forma de livro




Some content is available in English.
Se você vê mérito nos tópicos tratados, divulgue — comente e partilhe nas redes sociais. É uma prática de generosidade que ajuda na minha própria prática de generosidade de produzir e disponibilizar esse conteúdo. Outras formas de ajudar.



Ao clicar no curtir/like acima você curte o site todo, para curtir o conteúdo especifico, procure pelo botão ao final do texto.



autor

tzal.org é produzido por Padma Dorje.

e-mail

@pdorje on twitter

perfil no Facebook







patronagem


Banco do Brasil (001)
ag 3252-2 cc 23.017-0


Banrisul (041)
ag 0100 cc 35.220.185.0-6



direitos
todo conteúdo, design e programação por Eduardo Pinheiro, 2003-2017 (exceto onde esteja explicitamente indicado de outra forma)
Licença Creative Commons

Esta obra é licenciada com a Creative Commons Atribuição: Uso não comercial, compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License

Por favor, quando divulgar algo deste site, evite copiar o conteúdo todo de um texto; escolha um trecho de um ou dois parágrafos e coloque um link. O material aqui é revisado constantemente, e páginas repetidas na internet perdem ranking perante o Google (a sua e a minha).