contain  multitudes  •  por  Padma  Dorje  •  fundado  em  2003
contain  multitudes
HomeBudismoÁudio e vídeoTendrelA mensagem dos tibetanos (parte 2: o tantrismo)

A mensagem dos tibetanos (parte 2: o tantrismo)

Segunda parte do documentário de 1966 de Arnaud Desjardins, que mostra vários dos principais lamas e grandes figuras do Budismo Tibetano no século passado (Dilgo Khyentse Rinpoche, Sonam Zangpo, XVI Karmapa, e outros). Traduzido por mim em faixa de voz simultânea.



Por favor, ajude o canal o assinando, curtindo os vídeos e comentando.

• Para receber informações sobre a produção de Padma Dorje, assine o boletim informativo

• Por favor ajude este site e o canal no YouTube a continuarem oferecendo conteúdo.

Lista completa de vídeos no canal tendrel, com descrição.

• Visite o Canal Tendrel no YouTube.

Contribuições e perguntas podem ser feitas por email padma.dorje@gmail.com.

O que significa esse termo e o que é essa prática, em particular dentro do budismo? O Buda deu ensinamentos tântricos?tzal.org

O que é tantra?

O que significa esse termo e o que é essa prática, em particular dentro do budismo? O Buda deu ensinamentos tântricos?
Será que o vajrayana veio do Bön ou do hinduísmo? Não é bem assim.tzal.org

O vajrayana surgiu de sincretismo?

Será que o vajrayana veio do Bön ou do hinduísmo? Não é bem assim.
Comentário sobre algumas das ideias datadas passadas no documentário “A mensagem dos Tibetanos”tzal.org

Alguns preconceitos e ideias errôneas de ‘A mensagem dos tibetanos’

Comentário sobre algumas das ideias datadas passadas no documentário “A mensagem dos Tibetanos”
Como é isso de no budismo não haver a figura de um criador ou ser onipotente? O budismo teoricamente não agrada ninguém: nem o pessoal supostamente “cético”, que não gosta de coisas supersticiosas, nem o pessoal que curte a noção de um Deus onipotente ou criador. Como é mesmo que o budismo ainda é popular?tzal.org

Budismo: Religião sem Deus

Como é isso de no budismo não haver a figura de um criador ou ser onipotente? O budismo teoricamente não agrada ninguém: nem o pessoal supostamente “cético”, que não gosta de coisas supersticiosas, nem o pessoal que curte a noção de um Deus onipotente ou criador. Como é mesmo que o budismo ainda é popular?



Se você vê mérito nos tópicos tratados, divulgue -- comente e partilhe nas redes sociais. É uma prática de generosidade que ajuda na minha própria prática de generosidade de produzir e disponibilizar esse conteúdo. Outras formas de ajudar.


Tigela de esmolas para contribuições.

Ajude tzal.org (contribuições mensais):

• PayPal, em qualquer valor acima de 10 reais

• Stripe, 30 reais por mês

• Mercado pago, contribuição mensal de qualquer valor.


Para contribuição única:

• Pelo PIX

• PayPal

• Stripe

• Mercado Pago



todo conteúdo, design e programação por Eduardo Pinheiro, 2003-2024
(exceto onde esteja explicitamente indicado de outra forma)

Esta obra é licenciada em termos da CC BY-NC-ND 4.0 Creative Commons. Atribuição. Não comercial. Sem derivações.



Por favor, quando divulgar algo deste site, evite copiar o conteúdo todo de um texto; escolha um trecho de um ou dois parágrafos e coloque um link. O material aqui é revisado constantemente, e páginas repetidas na internet perdem ranking perante o Google (a sua e a minha).